Rede Hits FM

MACAÉ
ITAPERUNA
SJB / CAMPOS
PUBLICIDADE

Rio de Janeiro ganha novo prazo para apresentar plano de recuperação fiscal

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email

Rio de Janeiro ganha novo prazo para apresentar plano de recuperação fiscal


Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
Governador RJ
Foto: Daniel Resende
Governador RJ
Foto: Daniel Resende

O Estado do Rio de Janeiro ganhou mais duas semanas para entregar ao Ministério da Economia o seu plano de recuperação fiscal. Algo que vem sendo tratado com o governo federal há meses. O prazo extra foi dado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) José Antonio Dias Toffoli. O pedido foi feito pelo próprio Estado. O Rio aderiu ao plano de recuperação ainda na gestão do ex-governador Luiz Fernando Pezão (2014-2018), do MDB. O plano deveria entregue efetivamente na última segunda-feira, 6, mas, com a decisão de Dias Toffoli, o novo prazo passa a ser o dia 20 de junho. Há ainda alguns pontos de divergência técnica entre o Estado do Rio de Janeiro e a Procuradoria da Fazenda Nacional, órgão do Ministério da Economia. E é isso que estão tentando resolver, encontrando um ponto de convergência.
Um dos pontos de divergência diz respeito ao pagamento de triênios. O estado do Rio de Janeiro pretende continuar pagando triênio aos atuais servidores, deixando de fora somente os novos servidores. Mas o entendimento da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional é que os triênios deveriam ser abolidos. O Estado alega que o impacto do triênio sobre as contas é muito pequeno. Outro ponto de discordância diz respeito ao teto e gastos do Estado. O governo Fluminense quer garantir espaço mínimo necessário para continuar fazendo os seus investimentos.

Nos últimos dias, ainda surgiu um problema adicional. Se vingar a ideia do governo federal de zerar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos Estados para combustíveis, a perda calculada pelo Rio de Janeiro em arrecadação é de R$ 6 bilhões. As premissas do plano de recuperação fiscal contam com essa receita e o Rio de Janeiro vai, obrigatoriamente, precisar de uma compensação. O plano do RJ chegou a ser recusado pelo Tesouro Nacional em janeiro deste ano, mas, em fevereiro, foi aprovado com ressalvas.

O plano de recuperação fiscal é considerado fundamental para a saúde financeira do Estado do Rio de Janeiro. Se não for mantido no plano de recuperação, o Estado tem de pagar, de uma vez só, R$ 24 bilhões ao Tesouro Nacional neste ano de 2022. O governo Cláudio Castro (PL) aposta na boa relação que tem com o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), para fechar um acordo. Ambos estarão juntos nesta quarta-feira, 8, no Rio em um evento que vai reunir empresários e políticos na associação comercial do Estado.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
PUBLICIDADE

Destaques do dia
PUBLICIDADE
Fique sabendo
PUBLICIDADE
Promoções
Podcasts
PUBLICIDADE