Campos não terá festa de Réveillon, apenas queima de fogos

O prefeito de Campos, Wladimir Garotinho, anunciou, na noite de terça-feira (30), que decidiu pelo cancelamento das festas de Réveillon no município. "Teremos apenas queima de fogos. Não vamos financiar uma festa que vai gerar aglomeração", disse ele, que também resolveu antecipar a reunião do gabinete de crise do dia 20 de dezembro para o próximo dia 06. Em relação ao Carnaval, Wladimir afirmou que a Prefeitura ainda está analisando se o mesmo acontecerá.

O anúncio ocorreu  durante homenagem feita pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, aos profissionais da linha de frente contra a Covid-19, que atuaram no Hospital da Beneficência Portuguesa, onde funcionou o Centro de Controle e Combate ao Coronavírus (CCCC). Em reconhecimento à coragem, profissionalismo, dedicação, sacrifício e o  esforço para salvar vidas, 12 profissionais da Saúde, representando cerca de 250 trabalhadores, receberam um certificado de menção honrosa. Os demais certificados serão entregues posteriormente. Entre os homenageados estão médicos, enfermeiros, assistentes sociais, fisioterapeutas, psicólogos, técnicos de enfermagem, maqueiros, pessoal do apoio,  farmácia, administrativo e segurança.

O evento aconteceu no salão principal do prédio que abrigou o CCCC. Em seu discurso, o prefeito disse não saber o que falar aos profissionais. "Geralmente isso não ocorre comigo, de não ter palavras para discursar em público, mas acho que a palavra gratidão resume o que está acontecendo aqui. É uma justa homenagem e uma feliz coincidência desse evento estar sendo realizado, um dia após o município, não ter mais pacientes internados nos hospitais públicos", afirmou o prefeito, ressaltando que entregar um certificado é pouco diante de tamanha  dedicação e ao mesmo tempo incerteza e angústia que os trabalhadores   enfrentaram.

A assistente social, Carla Beatriz Rufino, 51 anos, foi a primeira profissional a receber o certificado. Emocionada, ela disse ter ficado feliz  com o reconhecimento. "Foram dois anos bem difíceis. Houve dias em que ocorreram 16 óbitos. Tínhamos horário para entrar, mas não para voltar para casa".

O vice-prefeito, Frederico Paes, afirmou que, diante de tantas vidas perdidas para a Covid-19, não havia motivos para comemoração, mas agradecimento.  "Estamos sim agradecidos aos profissionais e a equipe da secretaria de Saúde, nas pessoas do dr. Charbell Kury e Rodrigo Carneiro, da Atenção Básica, por terem colocado Campos como um dos primeiros municípios a avançar na vacinação por idade, sempre seguindo orientação do Ministério da Saúde". O agradecimento foi estendido também ao ex-secretário de Saúde, Adelsir Barreto, atual presidente da Fundação Municipal de Saúde  (FMS), secretário de Saúde, Paulo Hirano,  subsecretário de Saúde, Marcos Gonçalves, e a coordenadora médica da triagem, Cíntia Cordeiro.

O secretário de Saúde, Paulo Hirano, afirmou ser, a noite desta terça-feira, uma noite gloriosa. "Somos sobreviventes dessa pandemia. Vocês são verdadeiros heróis, porque superaram muito sofrimento e angústia, sem esmorecer", disse o secretário, elogiando a atitude do prefeito em homenagear os trabalhadores. 

O diretor técnico da Beneficência Portuguesa,  Jorge Luiz Miranda, fez menção ao mês de março deste ano, onde todos os 60 leitos de clínica médica e os 28 da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estavam  ocupados. "Tivemos que improvisar mais 11 leitos extras no salão principal do prédio, que se transformou em uma emergência ", disse ele, agradecido por nenhum profissional que atuou na linha de frente ter perdido a vida para a Covid-19 e por hoje não haver mais pacientes internados.

A coordenadora médica da triagem, Cíntia Cordeiro, afirmou que todos são merecedores da homenagem, do médico ao profissional que abria e fechava o portão. "Foi Deus quem nos guardou", disse a médica oftalmologista.

Comentários