CPI convoca Luciano Hang para depor na próxima semana

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 vai ouvir o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, na próxima semana. O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), informou aos senadores que Hang será ouvido na quarta-feira (29). O empresário entrou na mira da CPI após as denúncias enviadas à comissão sobre a Prevent Senior, incluindo a suposta alteração do atestado de óbito da mãe de Hang.

Apesar de já haver uma convocação de Hang, que foi aprovada no dia 30 de junho, a comissão aprovou um novo requerimento para chamar o empresário após pedido do relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL).

“Eu considero o depoimento dele importante, ele é um empresário importante no Brasil, membro destacado do gabinete paralelo. Nós temos conversas dele que são conversas absurdas sob qualquer contexto. Então, era muito importante que nós pudéssemos trazê-lo até o final dos nossos trabalhos”, afirmou o relator.

Em seu atestado de óbito, não há a identificação do falecimento por Covid-19. A CPI também recebeu a informação de que Hang pediu que o uso dos medicamentos por sua mãe durante a doença não fosse divulgado.

Durante a reunião desta quarta, Renan Calheiros classificou a tentativa de ocultar o tratamento da mãe do empresário com o chamado kit covid de “repugnável sob qualquer aspecto”. O senador alagoano afirmou ainda que a CPI comprovará a tentativa de ocultação.

“É uma farsa que será desmascarada aqui pela Comissão Parlamentar de Inquérito. Infelizmente, porque um filho que utiliza desta forma a sua mãe, que trata a covid em um hospital com medicamentos do ‘tratamento precoce’ – e nós temos comprovação de que ele recomendou a médicos: ‘olha, escondam que a minha mãe foi tratada com cloroquina para não desmerecer a eficácia do plano’. Isso é uma coisa macabra, escabrosa, reprovável, repugnável sob qualquer aspecto. Nunca imaginei que isso pudesse acontecer”, disse Renan nesta quarta.

Comentários