Rede Hits FM

MACAÉ
ITAPERUNA
SJB / CAMPOS
PUBLICIDADE

Macaé: Vereador Cesinha fala sobre pauta inclusiva na cidade

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email

Macaé: Vereador Cesinha fala sobre pauta inclusiva na cidade


Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
Cesinha
Foto: Câmara
Cesinha
Foto: Câmara

Durante a sessão da Câmara de Macaé desta terça-feira (14), o presidente Cesinha (Pros) utilizou a tribuna para falar sobre o Requerimento 228/2022, de sua autoria, que foi aprovado no último dia 8. O objetivo é garantir mais qualidade de vida e inclusão social às Pessoas com Deficiência (PcD).

Defensor da causa desde quando assumiu o primeiro mandato, em 2013, Cesinha solicitou que o Executivo crie uma junta médica e uma equipe multidisciplinar para que os laudos sejam emitidos de forma mais ágil e eficaz.

Pelas redes sociais, no entanto, trechos e cortes da fala do vereador geraram interpretações equivocadas sobre o teor do requerimento

“Diante de tudo o que já discutimos, reforço que o meu requerimento teve o objetivo de ajudar. Mesmo assim, nossa iniciativa buscava sensibilizar e acredito que o objetivo o objetivo foi alcançado”, disse.

Além do requerimento, Cesinha conseguiu aprovação unânime do plenário para criar a Frente Parlamentar em Defesa da Pessoa com Deficiência, que também inclui Iza Vicente (Rede), Reginaldo do Hospital (Podemos) e Luciano Diniz (Cidadania), líder do governo.

Um dos principais objetivos da frente é busca soluções para a falta de auxiliares de ensino para estudantes, além da criação do Centro de Referência da Pessoa com Deficiência (PcD) para atender toda a cidade.

Histórico

Cesinha é o autor de diversas iniciativas para promover a inclusão, como a Lei 4516/2018, que institui a Política Municipal de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e a Semana Municipal de Conscientização do Autismo, a ser realizada no mês de abril.
É do parlamentar, também, a Lei 4950/2019, que torna obrigatória a inclusão do símbolo do autismo nas placas de atendimento prioritário em todo o território macaense. Já a Lei 4770/2021 estabelece a triagem para diagnóstico precoce do TEA em unidades de saúde e creches municipais, por meio do questionário M-Chat.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
PUBLICIDADE

Destaques do dia
PUBLICIDADE
Fique sabendo
PUBLICIDADE
Promoções
Podcasts
PUBLICIDADE