Rede Hits FM

MACAÉ
ITAPERUNA
SJB / CAMPOS
PUBLICIDADE

Brasil não terá desabastecimento de fertilizantes, diz Ministério da Agricultura

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email

Brasil não terá desabastecimento de fertilizantes, diz Ministério da Agricultura


Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
Fertilizantes
Fertilizantes

O Ministério da Agricultura reitera que, apesar da guerra na Ucrânia, o Brasil não terá desabastecimento de fertilizantes. A indicação veio um dia depois da conversa por telefone entre os presidentes Jair Bolsonaro e Vladimir Putin. Cerca de 70% insumos utilizados no mercado interno vêm do exterior, sendo que a Rússia é o principal fornecedor do Brasil. O temor pela falta de fertilizantes cresce desde o início da guerra no Leste Europeu. a crise global na distribuição de alimentos eleva os índices inflacionários. Rússia e Ucrânia lideram as exportações de grãos para o planeta.

O diretor de programa do Ministério da Agricultura, Luiz Rangel, detalha que em nenhum momento o abastecimento foi interrompido. “As exportações da Rússia para o Brasil continuaram funcionando. Continuaram funcionando, inclusive, fora de um padrão observado em anos anteriores, mesmo antes das crises, das crises de logística e abastecimento de importação, hoje, finalizando o primeiro quadrimestre do ano, nós temos 14% a mais de importação de fertilizantes, como um todo, do que tínhamos nos anos anteriores e, pasmem, só da Rússia nós aumentamos, no primeiro trimestre, 70% de importações vindas da Rússia. Não houve interrupção no comércio de fertilizantes entre Rússia e Brasil”, afirma.

O membro da pasta participou de uma audiência na Câmara e lembrou que o insumo básico do fertilizante é o cloreto de potássio. Já o superintendente de pesquisa da Agência Nacional de Mineração, Ricardo Eudes, defende ampliar o mercado interno, mas lamenta. “Então na nossa história, daqueles 3,9 mil de potássio que entraram, menos de 10% estão hoje ativos, e nove concessões de lado, que são da Petrobras, concessões antigas e não são trabalhadas já há vários anos. E se os cinco requerimentos de lavras, dentre os 16 que existem também na Amazônia, estão carecendo do licenciamento para então a empresa iniciar os procedimentos objetivando a lavra daquele depósito. Ricardo Eudes explica que o Brasil incentiva a pesquisa para a produção de cloreto de potássio.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
PUBLICIDADE

Destaques do dia
PUBLICIDADE
Fique sabendo
PUBLICIDADE
Promoções
Podcasts
PUBLICIDADE