Rede Hits FM

MACAÉ
ITAPERUNA
SJB / CAMPOS
PUBLICIDADE

Brasil assina pacto por desenvolvimento sustentável do Atlântico

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email

Brasil assina pacto por desenvolvimento sustentável do Atlântico


Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
Fórum 2022 de Pesquisa Oceânica de Todo o Atlântico
Fórum 2022 de Pesquisa Oceânica de Todo o Atlântico
Fórum 2022 de Pesquisa Oceânica de Todo o Atlântico
Fórum 2022 de Pesquisa Oceânica de Todo o Atlântico

O Brasil, a União Europeia e outros seis países que compartilham as águas do Oceano Atlântico assinaram ontem (13), em Washington (EUA), a Declaração de Todo o Atlântico, do inglês All Atlantic Declaration.

O protocolo de intenções visa estimular a integração de atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação desenvolvida pelas nações signatárias. Segundo o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, a intenção é estabelecer uma “aliança de longa duração para o compartilhamento de conhecimentos, infraestruturas e capacidades” aptas a promover o desenvolvimento sustentável do Oceano Atlântico.

A assinatura da declaração ocorreu durante o evento ministerial que integra o Fórum 2022 de Pesquisa Oceânica de Todo o Atlântico, a segunda etapa do fórum, cujo encontro científico ocorreu em Brasília, de 31 de maio a 2 de junho.

Além do Brasil e do bloco europeu, África do Sul, Argentina, Cabo Verde, Canadá, Estados Unidos e Marrocos também assinaram a declaração. Durante o evento, o representante brasileiro, secretário nacional de Pesquisa e Formação Científica, Marcelo Morales, disse estar emocionado por participar de “algo grandioso”.

“Estamos iniciando um processo que, se for bem-sucedido, tem o potencial de realmente mudar os paradigmas”, disse Morales, acrescentando que a nova declaração revigora iniciativas anteriores, como a Declaração de Belém, que o Brasil assinou em 2017, junto à África do Sul e a União Europeia.

“Este foi um passo muito importante. Todos sabemos que o mar é o elemento essencial da vida. Mesmo assim, isso ainda não foi suficiente para que a sociedade mude a atitude predatória de exploração dos mares”, disse Morales.

Transmitida pelo Youtube, a sessão ministerial do fórum incluiu a apresentação dos resultados do evento científico realizado no fim de maio, além da troca de experiências e debates técnico-científicos das possibilidades da cooperação oceânica.

Amanhã (14), a sessão terá intervenções sobre as ligações entre o tema e a Década da Ciência Oceânica. Estão previstas quatro mesas de debates sobre os principais aspectos discutidos durante o evento científico.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
PUBLICIDADE

Destaques do dia
PUBLICIDADE
Fique sabendo
PUBLICIDADE
Promoções
Podcasts
PUBLICIDADE