Rede Hits FM

MACAÉ
ITAPERUNA
SJB / CAMPOS
PUBLICIDADE

Bolsonaro encaminha projeto que desvincula recursos do pré-sal para saúde e educação

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email

Bolsonaro encaminha projeto que desvincula recursos do pré-sal para saúde e educação


Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
Bolsonaro
Foto: Reprodução
Bolsonaro
Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro encaminhou ao Congresso Nacional, nesta quinta-feira (9), um projeto de lei que autoriza a União a vender, de forma integral e definitiva, sua parcela do excedente em óleo e gás provenientes de contratos de partilha. O texto também permite desvincular recursos do Fundo Social para a saúde e a educação.

Atualmente, os contratos estão com a Pré-Sal Petróleo S.A., estatal vinculada ao Ministério de Minas e Energia que o governo quer privatizar. O regime de partilha é caracterizado pela participação compulsória da União no consórcio vencedor da licitação do bloco a ser explorado e pelo direito do governo à parte do óleo e gás natural obtidos com a produção.
De acordo com o governo, o modelo adotado até aqui faz com que a União compartilhe com os parceiros privados os riscos associados à exploração do petróleo. Para comercializar o óleo de propriedade do governo, a Pré-Sal deve exercer atividades similares a de investidores privados, o que demanda ações complexas.
Com a venda dos direitos da União nos contratos de partilha, a Pré-Sal Petróleo S.A. deixaria de integrar os atuais contratos, fazendo com que as decisões empresariais passassem a ser tomadas por entes totalmente privados. O governo argumenta que a medida possibilitaria a redução da presença do Estado na economia.

“Estamos dando segurança jurídica para viabilizar a venda dos contratos de petróleo do regime de partilha em um momento em que o mundo experimenta a transição energética, migrando de fontes sujas para fontes limpas”, disse o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Diogo Mac Cord.

Atualmente, a matriz energética brasileira é composta de 48% de fontes renováveis de energia e 51% de fontes não-renováveis – nesse segundo grupo, 33% da energia são provenientes de petróleo e derivados e 11% são de gás natural, entre outras fontes menores.y

O projeto prevê ainda a desvinculação das receitas do Fundo Social, que recebe parcela dos recursos do pré-sal que cabem ao governo. O fundo foi criado com o objetivo de constituir uma fonte de recursos para o desenvolvimento do país. Em 2013, foi sancionada uma lei que destina parte desses recursos para a educação e a saúde.

Agora, o governo quer desvincular essas receitas e argumenta que a medida é importante porque, caso mantida a vinculação, haveria ineficiência na gestão fiscal. “Isso porque, dado o volume de recursos esperados, eles não teriam contrapartida de previsão de despesas no orçamento”, afirma, acrescentando que não haverá qualquer prejuízo à execução das políticas públicas abrangidas pelo Fundo Social.

“A medida aproveita a ocasião de alta expressiva nos preços do petróleo para maximizar a receita pública. Trata-se de uma oportunidade de monetização do petróleo e gás natural, que são patrimônio do povo brasileiro, em momento oportuno em que o preço do barril chegou ao maior valor dos últimos 10 anos e há forte demanda por esse produto no mercado”, argumenta.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email
PUBLICIDADE

Destaques do dia
PUBLICIDADE
Fique sabendo
PUBLICIDADE
Promoções
Podcasts
PUBLICIDADE